23/12/2015

o mundo é composto de mudança !


Ser revolucionário é quase sempre "ter razão antes de tempo e fora do seu tempo" !

Uma ideia nova  aparece sempre como uma ameaça ao "status quo" e sistema de poder implantado e prontamente rechaçada, muito embora hoje vivamos tempos em que a ciência e as suas fantásticas descobertas, embora muitas vezes ignoradas, pelo menos não são logo condenadas.

A trevas dissiparam-se um pouco mais nesta nossa era, mas ainda não o suficiente para que as novas ideias tenham o caminho facilitado,  muito pelo contrário.

FGonçaves
"in" 14Dec2012.

Salvem os bancos e afoguem as pessoas!

Esta ideia peregrina de manter um povo na escravidão com salários de miséria, ao mesmo tempo que se salvam bancos (ao mesmo tempo que se evaporam muitas dezenas de milhares de milhões de euros) e se fazem negócios sempre à custa de perdas do estado, sem qualquer transparência, faz-nos temer o pior.

Um país cuja economia é baseada no domino de uma mão cheia de crápulas e párias, que assentaram arraias neste pobre país, e o vão destruindo com dívida pública contraída para satisfazer a camarilha que se instalou no poder, não poderá ter qualquer futuro.

Sem uma mudança radical desta forma abjecta de exercer o poder em Portugal, substituindo-a por uma governação do país, como total transparência das contas públicas e da forma como se exerce a justiça em Portugal, nunca sairemos deste lodaçal em que nós cidadãos nos deixámos estagnar.

Enquanto este sistema de párias dominar o país, controlando simultâneamente os media e evangelizando o povo a seu bel-prazer, Portugal nunca terá futuro nem rumo, que não seja a mais completa falência e pobreza sem fim!

Sim, infelizmente 2016 vai com certeza ser pior que 2015 e assim por diante! A não ser que
você ainda acredite no pai natal ou na branca de neve!

Festas Felizes e um ano de maior clarividência para todos os cidadãos deste pobre país à beira mar estacado!

Francisco Gonçalves
"in" 23Dec2015

A crise que fustiga Portugal e que grassa por toda a Europa é sobretudo de valores e princípios, que não existem de todo.


16/12/2015

Quem cria empregos e dinamiza a economia dos países !

É bom lembrar que não são os "patrões" de lixo incrustado deste país que criam empregos.

Quem cria oportunidades de negócios e logo mais empregos.. são os CONSUMIDORES!

Portanto esta ideia de economistas medievos, de que é preciso tratar as associações patronais nas "palminhas" e ainda por cima dar-lhes incentivos (que são dinheiro deste pobre povo), para eles desbaratarem sempre, sem qualquer consequência, terá que parar para bem deste país.

O salário minimo em Portugal é uma ignominia e em minha modesta opinião deveria ser fixado em valores decentes, como 600,00 Euros.

Haveria certamente "patrões" (e muitos) a clamar que não poderiam pagar este nível de salário. E a solução para estes seria simples. Apenas teriam que demonstrar contabilisticamente, perante a autoridade tributária e/ou segurança social, de que tal não poderiam satisfazer. E então se cumprissem os critérios definidos por legislação adequada a este fim, teriam a possibilidade de contratar colaboradores abaixo do tecto máximo do salário minimo. Mas apenas enquanto a sua situação contabilística assim o indicasse. 

E desde modo acabariam os "choradinhos" que se passam há 40 anos e sempre com dinheiro dos contribuintes a ser delapidado nesta gente, sem que a economia do país saia deste buraco sem fundo e lamacento. 
Assim continuaremos a viver numa economia de casino sempre numa base de subsistência e assistencial, sem qualquer fim à vista!

Futuro neste país ?? Só na fuga aos impostos generalizada, branqueamento de capitais e sempre a crescer a socialização dos prejuízos de privados (bancos e empresas) por alguns milhares de pilantras que nos desgovernam e seus amigos subsidio-dependentes.

Francisco Gonçalves "in" 16Dec2015
( francis.goncalves@gmail.com )

Apesar destes "patrões" bem "pobres" que temos, apenas este ano os carros de topo de gama (Maserati's, Ferrari's, etc) subiram em termos de vendas em mais de 23% !!! 
Não me digam que foram os desempregados ou os mais de 3 milhões de portugueses a auferir salários de miséria, que os adquiriram??!!



15/12/2015

O país dos "psicopatos" bravos !

"A pior mentira é aquela que contamos a nós próprios"... Mas quando ultrapassamos este ponto e chegamos mesmo a afirmar mentiras, que sabemos são falsidades monumentais, e à custa de tanto as repetirmos se começam a transformar em verdades absolutas (para nós e para os que nos rodeiam), então chegámos à sociedade da plena PSICOPATIA!

Viva a sociedade dos "psicopatos" e o país decrépito em que nos estamos a transformar, a passos seguros e sem vacilar!

FGonçalves (2015)

13/12/2015

Portugal um país de (in) justiça medonha!

Enquanto neste país, o grupo COFINA e seus média, nomeadamente o Correio da Manhã, estão interditos de publicar notícias sobre o caso Sócrates. Este no entretanto é autorizado, e até encorajado pelos párias deste país, a dar entrevistas na TV. Isto estando este senhor em liberdade a aguardar julgamento e com acusações gravíssimas pendentes, como a fuga ao fisco, branqueamento de capitais e uso de posições de governação para proveito próprio, entre muitas outras!

São pois critérios de uma justiça com "dois pesos e duas medidas", que mais não provam que esta continua fiel e tradicionalmente, a ser um instrumento para os poderosos se defenderem dos que pouco ou nada têm.
E assim, deste modo (com ou sem consciência deste seu enquadradamento perfeitamente medievo!!?), continuam a empurrar a hipótese de Portugal vir a ser um país realmente democrático, socialmente justo e desenvolvido, para as "calendas gregas", ou quiça para o "julgamento final", a acreditar em tanta "prática religiosa" destas gentes.

É pois despudoradamente o "modus-operandi" de todo um sistema de justiça com mais de 40 anos de práticas, alicerçadas na velha ideologia de ser vergonhosamente forte para com os fracos, e fraca (e até submissa) perante os fortes.
Num país assim, onde a justiça se encontra ausente em parte incerta, a democracia é algo de impossível e só um regime de párias pode outorgar-se em todo o seu esplendor, como os "donos disto tudo e de alem mar perdidos".

Progresso e crescimento neste país? Só mesmo o da corrupção, fuga ao fisco e esclavagismo praticados a céu aberto por uns milhares de dono disto tudo, sempre a roubarem o erário público perante a inacção, e até com a bênção da grande maioria deste pobre povo, sempre explorado até à medula.

Francisco Gonçalves In 13 Dec2015

Impostos: empresas pagam cada vez menos e famílias cada vez mais...
"(..).
O diretor do centro de política fiscal da OCDE, Pascal Saint Amans, explicou que as empresas acabam sempre por encontrar uma forma de pagar menos impostos.
“A grande maioria das subidas de impostos desde a crise recaem sobre as famílias através de mais contribuições à Segurança Social, do IVA e do imposto sobre os salários”, acrescentou.
Em Portugal, as receitas fiscais totais representavam 32% do PIB em 2007 e passaram a significar 34,5% do PIB em 2013 e 34,4% em 2014, segundo as estimativas da OCDE. (..)."

Ver artigo sobre os 1000 párias e donos disto tudo.... e depois diga-me se ainda se orgulha de ser cidadão deste pobre país!
"(..)..
Depois de ter passado sete anos à frente da Direcção Geral de Impostos mergulhado num silêncio sepulcral, José Azevedo Pereira concedeu uma estrevista à SIC-Notícias. Entre o muito que não diz mas insinua, e as conclusões que consente que se tirem sobre a manipulação política a que o Fisco terá sido sujeito durante o último Governo, há uma informação que deixou cair sem ambiguidade: em 2014, quando saiu da Autoridade Tributária, uma equipa especial por si chefiada tinha identificado cerca de 1.000 famílias ricas – os chamados "high net worth individuals" – que, por definição, acumulavam 25 milhões de euros de património ou, alternativamente, recebiam 5 milhões de euros de rendimento por ano. ()..
Só é pena que tenha demorado oito anos a começar a falar e que, oito anos depois, a Autoridade Tributária continue a ser uma estrutura opaca, que silencia informação estatística fundamental para se fazerem debates informados, e que subtrai do conhecimento geral todas as valiosas interpretações que adopta. Não é só o acesso privilegiado de um punhado de contribuintes ao poder que distorce a democracia e desvia milhões dos cofres públicos. A falta de transparência das instituições públicas também. " In "Jornal Negócios" 12Dec2015.

23/11/2015

Os cidadãos só farão ouvir a sua voz se capazes de se unirem em torno de causas nobres

Para que estes poderes imensos dos sistema partidários e governos deles saídos possam acalmar-se na sua fúria de delapidar a riqueza que resta da nação, os cidadãos unidos terão que exigir total transparência das contas públicas e da governação, e uma forma de governar que seja totalmente aberta aos cidadãos em geral.


Isto de molde a permitir também que em qualquer momento os cidadãos possam inquirir, e com toda a legitimidade, quer o governo quer os deputados, sobre as leis, as politicas e as práticas de governação em curso.


Sem estas medidas os governos continuarão a manipular este pobre povo e a governar de forma aviltante e na mais absoluta perversão, com o estado e os "pulhiticos" sempre a servirem-se dos cidadãos, e não o contrário!


A democracia é uma construção e um aperfeiçoamento continuado e não algo que está pronto a ser servido apenas de 4 em 4 anos, com o direito de ir votar!


Francisco Gonçalves in 23Jan2013


Um exemplo será  a implementação de uma Declaração de Princípios Governamentais Abertos a adoptar pelos poderes centrais e locais :
"Com o desenvolvimento de novas tecnologias e uma população cada vez mais conectada e engajada, uma crescente pressão foi colocado nas [cidades] e nos líderes do governo, no sentido de adoptarem práticas de governo aberto que irão promover a transparência, a participação cidadã e colaboração. A fim de mudar a forma como o governo funciona, prestação de serviços públicos mais eficazes, e estabelecer uma democracia mais robusta, [Nome Concelho] adopta os seguintes princípios de governo aberto (..)."




Ou vamos continuar apenas a ser um Povo Resignado e Dois Partidos sem Ideias !??


Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta. [.]
Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira a falsificação, da violência ao roubo, donde provem que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro. Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País
.
A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar.

Guerra Junqueiro, in 'Pátria (1896)'

A ausência de valores perante uma sociedade que glorifica apenas cifrões

Os valores e os princípios (ou a sua ausência) estão hoje em Portugal, principalmente,  na base de uma sociedade injusta,  de poderes assimétricos, demente e severamente doente, que ameaça fazer ruir por completo.
E sobretudo entre os que mais responsabilidades deveriam ter na comunicação e na difusão das ideias, requer-se de facto como mínimo honestidade intelectual, algo que também aparentemente se encontra desaparecido em parte incerta.
A mentira e a ignomínia são a prática corrente e a troco de bolsas cheias de dinheiro.
Criámos uma sociedade de monstros em vez de seres humanos e de homens que se dizem de SUCESSO, em vez de HOMENS DE VALOR, estando estes em extinção acelerada.

Francisco Gonçalves “in”26June2013

"Quem nos viu e quem nos vê jorrando povo sobre a mesa ...O que fomos e fizemos não chega para ser cantado quem nos viu e quem nos vê com um cifrão de cada lado".. [José Jorge Letria, in "Quem nos viu e quem nos vê "]

Uma absoluta singularidade!

Debatemo-nos com uma fatídica singularidade em pleno séc XXI !
Temos só e apenas povo em excesso e faltam cidadãos responsáveis e cientes dos seus direitos e da sua obrigação de por eles lutarem!

FGonçalves (2013)

A humanidade continua inculta e a ser incapaz de pensar pela sua própria cabeça!

Hoje em dia todos estudam, tiram cursos e obtêm títulos académicos sem fim, mas continuam a pensar e deter-se em processos decisórios tal como os seus ancestrais que viviam nas cavernas!


De outra forma não se explicaria a situação em que vivemos em Portugal e como toleramos estar a ser governados por um bando de burlões e corruptos, e ainda assim sempre dispostos para CONTINUAR A IR VOTAR NELES!


Se este povo tivesse memória q.b e fosse capaz de pensar pela sua própria cabeça, deixando de lado o seu lado inconsciente de o "códigos dos mortos", no seu processo decisório, esta gentalha TODA que nos desgoverna, há 40 anos, não teria mais lugar em Portugal, e só o exílio seria castigo bastante para a traição que têm vindo a cometer contra este pobre povo inculto, crédulo e a debater-se na miséria à portas de uma Europa de senhores coloniais e burocratas sem fim.


Francisco Gonçalves “in” 2014

“O comportamento da manada que segue o líder, sem sequer pensar! Continuamos, no nosso processo decisório, a ter comportamento idênticos aos nossos ancestrais que viviam nas cavernas, isto é baseados em lógica genética incorporada ao longo de milénios, que se desenrola ao nível do inconsciente apenas!”


"Democracy is a pathetic belief in the collective wisdom of individual ignorance."
H. L. Mencken

Portugal lugar de exílio !

Portugal continua hoje, tal como há 50 anos atrás, a ser um LUGAR DE EXÍLIO!


E hoje pior que ontem, apesar dos nossos olhos não quererem ver nem acreditar!


Pátria, lugar de Exílio


           Pátria, lugar de exílio
           geométrico afã
           ou venenoso idílio
           na serena manhã.
           Pátria, mas terra agreste;
           terra, apesar da morte.
           Pátria sem medo a leste.
           Lugar de exílio a norte.
           Pátria terra, lugar,
           cemitério adiado
           com vista para o mar
           e um tempo equivocado.
           Terra, débil lamento
           na temerosa noite.
           Sobre os carrascos, vento,
           Desfere o teu açoite!

[Daniel Filipe]

O que Portugal precisa fazer!

Portugal precisa de trocar a mediocridade pela inteligência que ainda subsiste e resiste, premiando a excelência e punindo a mediocridade, os falhados e os corruptos sem fim!

Sobretudo é imperativo nacional abandonar a esperteza saloia e apoiar apenas a inteligência e a integridade.


Só assim a nação sairá deste beco e pardieiro sem fim.


“Estamos carentes de excelência. A mediocridade reina, assustadora, implacável e persistente”
[Lya Luft]

Francisco Gonçalves "in" 23 Nov 2015

Em Portugal a mediocridade é a medidas de todas as coisas.

" (..).Os partidos estão desacreditados e os políticos são desacreditantes. Portugal sobrevive num sonambulismo onde o desacerto se tornou coisa aprazível e a mediocridade a medida de todas as coisas. (..)."

[ Jorge de Sena ]

"Quando, alguma vez, a liberdade irrompe numa alma humana , os deuses deixam de poder seja o que for contra esse homem."

(Jean-Paul Sartre)


Portugal um país nas mãos dos corruptos e traidores da nação perante um povo inculto!

Os problemas que os países enfrentam (e particularmente Portugal e o seu povo), apesar de parecerem extremamente completos (e até quase insolúveis), tem de facto soluções estupidamente simples e o país poderia através da implementação destas soluções simples sair deste antro de miséria e corrupção em menos de 5 anos !

Mas como o país está nas mãos dos medíocres e com o voto e mandatados pela mediocridade nacional, o futuro irá ser negro e a esperança morta de tanto desacreditada, por mentiras perpetuadas ao longo de décadas e séculos!

Os tais que sempre que acabados de chegar ao poder, proclamam aos sete ventos que "não há alternativa" e que só há um caminho !!
O absurdo assentou arraiais e a inteligência da nação emigrou para parte incerta, e aparentemente de vez.

Tal como tenho também referido por aqui, a grande maioria dos problemas do mundo, e neste caso particular de Portugal, têm soluções estupidamente simples, ao contrário dos estúpidos e incapazes a quem sempre entregamos a resolução dos mesmos!

Também por isso, “um povo inculto é o instrumento cego da sua própria destruição”.

Francisco Gonçalves "in" 16Sept2013

O caminho inexorável para a desagregação social

" .. O aumento de perturbações mentais está intimamente ligada às injustiças sociais ... Cada vez mais as nossas sociedades são ligadas à produção (e aos bens materiais) e nada centradas no ser humano "..

O desenvolvimento pleno do ser humano, e das sociedades, só pode ser atingido através de uma cultura centrada no ser humano como valor supremo e forma deste atingir a sua realização e felicidade. Quando tal for um valor a atingir automáticamente as sociedades serão mais produtivas, mais ricas e com futuro cada vez mais promissor.
As sociedades actuais centram-se apenas no “ter” e esqueceram o “ser” e quando tal acontece o “ser” social deixa praticamente de existir para dar lugar ao individualismo doentio e a todo o tipo de patologias, com destaque para as psicopatias.

Este caminho, que por ora insistimos em trilhar, é sem dúvida o caminho do suicídio individual, de grupo e de nações sem futuro nem esperança  !

Francisco Gonçalves "in" Oct2014

Doenças mentais já afetam ¼ dos portugueses.

A re-invenção do fogo - Ou (talvez) uma das ultimas oportunidades para Portugal se re-inventar!

Julgo que ninguém duvida sequer no Mundo, que as energias renováveis vão constituir enorme riqueza para quem primeiro conseguir materializar redes e sistemas o mais integrados possível, tirando partido das actuais mais recentes tecnologias, e sobretudo de uma forte capacidade de inovação, a qual só por si constitui já hoje o grande motor das economias mais desenvolvidas do mundo.
Até aqui julgo que não terei nenhuma contestação de ninguém porque todos estaremos de acordo.
fireinvention.jpgPois se temos um País com exíguos recursos naturais à luz do Séc XIX (embora não tão poucos assim e ainda dignos de serem explorados, como é o caso do lítio para as baterias dos automóveis eléctricos, onde, vejam senhores, até a sorte se conjura para nos ajudar, e nós teimamos em não apanhar o comboio!!??), será natural sejamos os primeiros que nada temos a perder (nem sequer temos que destruir valor com outros países terão que fazer!), a lançarmo-nos “de cabeça” em projectos inovadores, tirando partido do enorme potencial criativo, já demonstrado ao longo de gerações de portugueses inventores, como é o caso das energias alternativas.
Não temos petróleo, gás natural, produção de combustíveis de origem vegetal, ou qualquer outra fonte de energia de rentabilidade assegurada, pois tudo temos de adquirir ao estrangeiro, excepto o que algumas barragens produzem, mas que não serve nem metade das nossas necessidades energéticas, seria, à luz dos conhecimentos que detenho e do que outros países estão já a fazer, de começar já hoje, e em força, a investir fortemente num projecto global e abrangente para o País inteiro, que integrasse os vários sub-sistemas de energias renováveis, incluindo neles o nosso mar sem fim!!
E por isso não entendo um Portugal, os Portugueses, o Governo e os empresários deste País, que se continuam a manter de braços cruzados, à espera que a crise passe, e hesitam em se lançar como toda a sua força em projectos de energias renováveis, como base na energia solar e eólica, pelo país inteiro onde fossem obrigatóriamento incluindo os Municípios de Norte a Sul, que teriam que garantir algum nível de empreendedorismo, tal como as empresas do Estado (que com os elevados lucros que obtêm à custa do esforço dos portugueses) bem poderiam investir em projectos à partida altamente rentáveis.
Haveria que lançar igualmente um carro eléctrico, mas de tecnologias e/ou integração de componentes integralmente portugueses, e tirando igualmente partido das ultimas tecnologias e inovações do mundo neste segmento, que viesse a ser de tal forma competitivo, que a sua adopção para os percursos citadinos não oferecesse qualquer dúvida aos cidadãos dentro de 2-3 anos (numa relação custo/benefício inequívoca e bem atractiva). Existem já tecnologias de carros eléctricos em projectos "open-source". Qual a dificuldade então??
A par com o lançamento de uma rede de parques de estacionamento pelo país inteiro e outros edifícios públicos e privados, que teriam obrigatoriamente painéis solares e geradores eólicos, adaptados com sistemas de abastecimento para os veículos.
Sobre o futuro dos carros eléctricos, de que eu não duvido sequer do seu sucesso a curto prazo em todo o mundo, pois é a tecnologia com mais maturação na industria automóvel, e alternativa de sucesso e já devidamente testada, relativamente aos tradicionais motores de combustão. E a vantagem para um país como o nosso é então de todo inegável.
Apenas para reforçar o argumento atrás referido, não quero deixar de citar alguém, não só acredita como já lançou mãos à obra e afirma mesmo que "Em menos de uma década, o carro eléctrico será, no mundo inteiro, o nº 1 de vendas. Esta é a maior oportunidade financeira que o mundo alguma vez já viu." E quem o diz é Shai Agassi, fundador da Better Place, a mais sofisticada empresa de carros elétricos do mundo. (http://www.time.com/time/world/article/0,8599,2066975,00.html ).
O tão urgente re-lançamento da indústria portuguesa deveria processar-se em força sob a égide das energias renováveis, colocando centros de investigação e universidades interligadas muito de perto com as empresas (a tão badalada ligação Unversidades - empresas, mas nunca materializadas teria aqui a sua oportunidade de ouro), no sentido de criar produtos e soluções de ponta, inovadoras e sobretudo com a capacidade de poderem vir a ser competitivas nos mercados externos. Poderíamos assim, não só desenvolver-nos internamente, em termos de sistemas eólicos, tecnologias de painéis solares e outras que lhe estão agregadas, sistemas com exploração das energia das ondas do mar, etc, e sobretudo o desenvolvimento de gerações de EV (Carro eléctrico), que não só tivessem sucesso em Portugal, mas com o potencial competitivo de virem igualmente a ser apelativos nos mercados externos.
Deste modo, todas estas soluções baseadas nas tecnologias atrás referidas deveríam ter com o objectivo primário e logo ser norteadas na sua concepção, por forma a constituirem-se em produtos de excepcional qualidade, de inovação ímpar e de competitividade alargada, com vista à sua exportação massiva, de acordo com as necessidades específicas dos mais diversos mercados externos de todos os continentes, sem excepção. Neste objectivo estratégico nacional seria mandatório que toda a tecnologia possível fosse de incorporação nacional, muito embora encontrando externamente as sinergias, que hoje são uma mais valia em qualquer projecto, através das flexibilidade e agilidade proporcionadas pela globalização.
 O país teria aqui o seu grande impulso económico, de que nunca teve oportunidade ímpar ao longo da sua história, a não ser na época dos descobrimentos, podem crer.
E porque não haverá o País também de criar legislação mais efectiva que obrigue a que todas as novas construções (públicas e privadas) tenham que obrigatóriamente se dotar de autonomia em energia eléctrica e água potável baseadas em fontes de energias renováveis, em pelo menos 50% / 60 % dos seus gastos totais energéticos e de água potável.
De todos estes projectos e acções atrás referidos, não só resultaria imensa riqueza para o País, como uma enormidade de empregos, desde os que exigem menores qualificações até aos mais qualificadissímos quadros de gestão, técnicos e investigadores, de elevado potencial e realizações pioneiras mesmo.
Mas o que impede então o Governo, os Empresários, Organismos e Empresas do Estado, Parcerias estratégica Estado Empresas nestes domínios e bem negociadas, e outros, de avançar e fazer progredir a Nação Portuguesa?
Estarão, por preguiça e conformismo puro, à espera que seja uma qualquer multinacional, daqui a 3-5 anos, a vir concretizar inevitavelmente estes projectos e a lucrar aos milhões, mas para fora de Portugal ?
Portugueses, temos pela nossa frente uma das maiores oportunidades de o País sair na linha da frente, no campo das energias renováveis, e inovando por forma a superar a actual crise e mesmo a criar mais riqueza, de que tanto necessitamos para continuarmos a ser um País considerado desenvolvido, e com níveis de vida dignos de europeus, que somos e merecemos !
Então pergunto? De que estamos nós à espera para lançar mãos à obra e um projecto verdadeiramente ambicioso e de nível nacional ??
E para todos quantos ainda colocam em dúvida a aposta de Portugal nas energias renováveis e poderão não ter percebido adequadamente o alcance das ideias que aqui propus deixo esta nota extraída da página "Sourcing Innovation" (http://blog.sourcinginnovation.com/2011/04/03/you-know-your-country-is-falling-behind-on-sustainability-when-.aspx?ref=rss ).
" Você sabe que seu país está ficando para trás em sustentabilidade quando ...???
O país mais sujo, sábio em energia, no planeta quase igual ao seu (USA), tem produção eólica de energia per capita no prazo de cinco anos. Sustentabilidade é uma grande parte da estratégia da China e há de novo plano de cinco anos , e o objectivo é aumentar a produção de energia eólica de 90 gigawatts (GW) de energia até 2016 a partir do nível de produção actual de 40 GW. (Fonte: The Next Five Years ) Actualmente, os EUA, líder mundial na produção de energia eólica, produz 35 Meare GW de energia eólica.
Mas o mais importante é o compromisso da China de reduzir a intensidade energética por unidade do PIB em 16%, reduzir a intensidade de carbono por unidade do PIB em 17%, e não aumentar os combustíveis fósseis para 11,4% do mix de energia primária até 2015. Para um país que actualmente se baseia em carvão sujo (whch é de 70% do mix de energia), esta é uma meta agressiva. E ainda mais agressivos são os seus objectivos para 2020 de redução da intensidade de carbono por unidade do PIB em 40% e aumentar a produção de energia sustentável para 15%.
Considerando que a China tende a realizar tarefas que ele coloca a sua mente para, este é um começo impressionante para um esforço de sustentabilidade, que foi em face da necessidade" "A necessidade aguça o engenho".
Quem disse que as energias renováveis não podem ser o sucesso de Portugal nos próximos 5-10 anos?? Os "velhos do Restelo" ou quem não está informado o suficiente e se pronuncia sobre o que não sabe??
Autor: Francisco Gonçalves
10 May2012

22/10/2015

A nação do sr. silva !

Portugal hoje não passa de uma pardieiro muito mal frequentado. Temos o sr. Silva que dizem ser o presidente do país, e o mais alto dignitário da nação. E temos também a Constituição da República todos os dias a ser ignorada grosseiramente por este senhor, pelos sucessivos governos da nação e pelos poderes “democráticos “ - deputados e orgãos judiciais, os quais “jazem” também aos pés da ganância e do poder económico.  Enquanto isto, o sr. Silva, em vez de fazer aquilo para que foi mandatado pelo povo, e até o jurou solenemente, que é ser o guardião da constituição, respeitando-a e fazendo-a respeitar, faz exactamente o oposto que é contribuir para a sua violação de forma consciente e levando-a ao limite, que é a subtracção aos portugueses a sua dignidade humana, e negando ao país qualquer hipótese de progresso.

Temos assim governos e um presidente que actuam na mais perfeita (in) constitucionalidade e sem o mandato inequívoco do povo (porque o traíram através da violação constante da Constituição da República), e tudo isto perante os outros órgãos de soberania e demais poderes da nação também coniventes, ou que assobiam para o lado, para disfarçarem a sua desfaçatez e de caras-sem-vergonha.

O sr Silva de mais alto dignitário da nação, assume-se de facto como o mais "baixo dignitário” da nação.
E digo mais "baixo", porque abaixo dele só existe a podridão de um sistema politico e judicial corrupto, caduco e que destrói Portugal e os portugueses, a cada minuto que passa.

FGonçalves (June2012)


Nota: A monumental queda, envolvendo crimes como fraude, branqueamento de capitais e até mesmo falsificação grosseira, de quase todos os bancos portugueses (sem excepção) e os seus prejuízos colossais bem como as luvas dos políticos e outros negócios entre amigos desde república das bananas, agora a serem pagos com juros por todo este pobre povo, estão aí para comprovarem o que acabo de descrever. Tal situação é em minha opinião inaceitável e um horrendo crime, talvez nunca antes perpetrado contra a nação, e sobretudo contra a grande maioria dos portugueses.

É claro, os resultados  desta acção politica desastrosa (e até criminosa) de uns poucos (de presidente, políticos da nação e elite que domina "isto tudo", ao longo de décadas) estão à vista de todos, os que ainda enxergam e podem facilmente constatar.

Portugal firmado na esperteza e nas mãos da máfia lusitânia

Portugal sempre esteve, e está, às mãos de um povo cuja genética e cultura estão rigidamente firmados na "esperteza", em vez da inteligência.
Esta “cultura lusa” tem favorecido sempre a "esperteza saloia" em desprestigio da inteligência, tanto na escola como na sociedade em geral.
Não admira portanto que o povo tome como autentico deus, qualquer idiota que pela sua "esperteza saloia" se tenha guindado a lugares de poder..
É claro que os resultados desastrosos de sempre para a nação, estão à vista de todos !

FGonçalves (Oct 2015)

Os portugueses são de facto deplorávelmente regidos e comandados pelo "código dos mortos"

Enquanto assim for o país estará vazio e à mercê da mais pura e aviltante banditagem de sempre e nas mãos da mais ignóbil espertice nacional!

"Um povo ignorante é instrumento cego de sua própria destruição. "

Enquanto um povo for incapaz de pensar pela sua própria cabeça, a sua escravidão estará assegurada e a nação continuará mergulhada nas trevas e na maior pobreza sem fim.

Estes passistas e costistas (indigentes dos socretinos) são profundamente salazarentos, e profusamente mais pardacentos e cinzentões que o próprio salazar.
O ditador pelo menos batia-os aos pontos em inteligência, o que já era algo que o diferenciava, embora não deixasse de ser um ditador!

De qualquer forma a inteligência é aquilo que nos diferencia do reino da indigência e da pobreza de espírito e esta é abominável, independentemente dos sistemas politicos e de regime mais ou menos totalitários...
tenho dito!

FGonçalves

19/10/2015

Um combustível chamado curiosidade !

"(..).Curiosidade é uma força de pesquisa que cada um de nós deve ter. Um espírito criativo requer principalmente curiosidade. Sem interesse sobre o que o mundo tem a oferecer, o que faz as coisas funcionarem, quais ideias as outras têm, você tem poucos motivos para ser criativo.
A curiosidade é que nos predispõe a investigar novas áreas ou a processar uma maneira melhor de fazer algo. Um filósofo organizacional diz muito sabiamente: a necessidade pode ser a mãe da invenção, mas a curiosidade é o pai da descoberta. (..).".

E você nunca sentiu curiosidade ?

As-it-is ! A pior das tiranias

"Em Portugal há muitas empresas geridas por incompetentes amigos do patrão. Despedimentos de gestores neste país, sós e forem os treinadores de futebol.." .

[entrevista do Jornal de Negócios, ao gestor da multinacional Cap Gemini]

‎"O povo, o povo soberano, que naquele dia tinha nas mãos o ceptro da sua soberania, não é menos dócil do que os irracionais que recordamos. O dia que devia mostrar-se orgulhoso, é quando mais se humilhava; quando podia dispor dos destinos dos seus senhores, é quando mais vergava a cabeça sob o peso que estes lhe assentavam. Não é semelhante esta força inconsciente do povo à do boi robusto e válido, que uma criança dirige e subjuga? Forte como ele, como ele dócil, como ele laborioso, como ele útil, não vê que a mesma força que emprega no trabalho lhe poderia servir para repelir o jugo. Ou, quando vê, é quando o desespero e a fúria, o cegam e impelem a revoltas tremendas."

(Júlio Dinis, 1868, sobre o voto útil nas eleições)

Vivemos tempos em que a esperteza domina tudo e todos !

Vale tudo em nome dos ditos cujos "mercados" !

Explica-se tudo, desde o abandono dos velhinhos, a redução das suas reformas, as criança com fome..e sem futuro, as crianças que não vão estudar porque os pais não têm dinheiro nem para comer, ..(..)., os maiores roubos sobre o colectivo da nação, em toda a sua história, a mentira insustentável e abominável na boca dos "pulhiticos", as injustiças abjectas da justiça....

..tudo, mas tudo é culpa dos "mercados".

Vivemos tempos onde o absurdo assentou arraiais e as trevas dissiparam toda a inteligência nacional.

Vivemos também um tempo de “silêncio dos inocentes”. E os outros, os que não sendo inocentes de todo, são considerados "as forças vivas da nação" ou antes a “reserva moral da nação” à beira da irrelevância??!!

Para estes salazarentos e cinzentões pós 25 de Abril, governar Portugal é um conceito que envolve governarem-se a eles, servirem os ricos e escravizarem o povo.

Entre o regime de Salazar e estes Salazarentos não vejo qualquer diferença. Apenas a capa protectora da "democracia" os separa!

Francisco Gonçalves “in 07Oct2010

A “CULTURA” NACIONAL DA ELITE QUE DOMINA O POVO!

A nossa sociedade e o nosso sistema de ensino não foram concebidos para criar seres humanos pensantes, que possam formar as suas opiniões próprias, ou sequer capazes de ser mais cultos ou até com sabedoria.
Muito pelo contrário, somos educados e estimulados a sermos apenas consumidores passivos, de tudo o que é material e se compra com dinheiro, mas sobretudo de consumirmos avidamente as ideias de uns “génios” medíocres, que os governos sempre contratam para o efeito.

E vivemos hoje numa sociedade onde se produzem todos os dias, mais e mais livros, com muitos mais idiotas a escrevê-los, para pessoas mais alfabetizadas sempre prontas a consumir ideias!

Sejam portanto bem vindos à sociedade idiotizada do consumo imediato!

E ainda assim, acham que Marx não tinha razão quando afirmou com a força da pura racionalidade, que "as ideias da classe dominante são, em todos os tempos, as ideias dominantes ", e que determinam como o povo deve pensar e comportar-se (bem, claro).
E aquilo que a neurociência hoje já deu como provado, afirmou-o também Marx "Não é a consciência do homem que lhe determina o ser, mas ao contrário, o seus ser social que lhe determina a consciência.".

Como tal, NADA é mais perigoso que um IDIOTA com iniciativa ...

Os idiotas, crêem em tudo que ouvem. O problema é que hoje o número de idiotas a ouvir e escutar tudo, é muito maior.

Mais livros, mais pessoas alfabetizadas consumindo ideias. No fundo temos vindo a criar mais e mais, perfeitos ‘idiotas letrados’ ! ".

E atenção, muita atenção que agora há a internet e o perigo fica potencialmente aumentado, a cada dia que passa.
‎" A principal meta da educação deverá ser a de criar homens que sejam capazes de fazer coisas novas, não simplesmente repetir o que outras gerações já fizeram. Homens que sejam criadores, inventores, descobridores. A segunda meta da educação é formar mentes que estejam em condições de criticar, verificar e não aceitar tudo que a elas se propõe." [Jean Piaget in 1932]

Francisco Gonçalves "in" 10March2013
"Ter escravos não é nada, mas o que se torna intolerável é ter escravos chamando-lhes cidadãos."
[Denis Diderot]

Translate